Psicólogo Dr. João Vedor © 2020

Buscar
  • Sahlo Meraki

Pati Passionis


Por vezes desnorteado

busco a sólida pedra para refletir,


Debruçado sobre o ir e o devir,

Sou tomado por uma brisa

que me empurra prali.


Que sensação agradável e magnetizante,

Ser levado sem vontade,

Que delírio desconcertante e

isocronicamente

apaziguante.


Pois ninguém tenciona realmente

Ter os seus pés

A pairar sobre o ar...


Porém, também o luar

se assombra do solar.

Num vislumbre onírico -

O Eros instala-se para lá do mar.


D'onde não a vejo,

mas sinto o seu poder

apossando-se de mim

"Deixa-te sorver" (Sussurro intenso).


Entorpece o arrogo...

Não!! Não quero delirar!!!!


O cântico é mais forte...


Entoa agonia de Ulisses desd'o osso...


Visceralmente quero-a culpar!!

Engodo no seu poço caí para me afundar...


Que força é esta?!

Vem para me salvar ou para me magoar?!


Freyja freyja... (Sussuro)

Concepisce la vita ma anche la morte;

A história reescreve o que a mão pretende

Desejem-me sorte...


Vou-me // prestes; estou AHHH!

afim & quase a me entregar...... ...... ......


Não me negue não se enerve,

Não desperdice o tempo do seu abraço.


No fundo tenha dó, deste pobre coitado.

A brisa aponta para si e ecoa o sussurro

(é a tua alma a enamorar).



Todos os direitos reservados João Diogo Vedor ©

3 visualizações